200 anos da Barra de Aveiro

Loading...

quarta-feira, 30 de julho de 2008

INAUGURAÇÃO DA EXPOSIÇÃO “RIALIDADES” DE RUI BELA

Magia ao Entardecer - Rialidades de Rui Bela

Na próxima Sexta-feira, dia 1 de Agosto, pelas 18.00 horas, será inaugurada a Exposição de Fotografia “Rialidades” de Rui Bela, na Galeria dos Paços do Concelho.

A Exposição de Fotografia “Rialidades”, composta por cerca de 50 fotografias, estará patente até dia 31 de Agosto, podendo ser visitada de Terça-feira a Domingo, das 14.00 às 19.00 horas, na Galeria dos Paços do Concelho (Praça da República, telefone 234 400 200). Tem entrada livre.


Rui Bela, natural de Ílhavo, é empresário, realizador e dinamizador do projecto "Rialidades" – Enciclopédia Audiovisual da Ria de Aveiro – do qual fazem parte as fotografias desta exposição. A criação de um banco de imagens, vídeo e fotografias, retratando, desde inícios do século XX, as vivências na laguna, um ecossistema tão rico em biodiversidade, tem sido uma das aspirações e preocupações do autor ao longo da sua carreira.

Nesta sua sexta exposição, Rui Bela recuperou um espólio fotográfico único sobre a praia da Costa Nova do Prado, conhecida pelos seus palheiros listados, num momento que esta regista 200 anos de existência. Tudo para conhecer através do som e imagem, pois para além da imagem estática de meia centena de molduras, o autor ainda realizou um documentário em vídeo, com 30 minutos de duração, onde retrata de uma forma audiovisual, o essencial de uma das praias mais cosmopolitas de Portugal cheia de histórias e tradições.


Bateirices - Rialidades de Rui Bela

O olhar de Rui Bela capta com grande sensibilidade as cambiantes de luz da Ria de Aveiro, onde a paisagem se vai transformando minuto a minuto, numa sucessão de imagens de grande beleza e serenidade. Os barcos moliceiros, de porte e colorido inconfundíveis, bateiras de cores garridas, bandos de aves e flora de toda a espécie, reflectem-se no espelho lagunar.

Nas asas das Dunas - Rialidades de Rui Bela

É pretensão do autor não só captar a beleza como também perpetuar no tempo a preservação dos hábitos e tradições das gentes que na laguna recolheram o ganha-pão diário ou simplesmente se serviram dela para passar alguns dos melhores momentos da sua vida. Os problemas que afectam a região, tais como a extinção gradual das salinas e da própria existência da laguna, com todas as consequências sociais, culturais e humanas, são uma das suas preocupações.

Dois Voos - Rialidades de Rui Bela

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Flamingos na Ria de Aveiro...


A colónia de flamingos na ria de Aveiro está a crescer de ano para ano. As aves vêm do sul de Espanha e encontram na zona húmida de Aveiro condições ideais para se estabelecerem e reproduzirem.



quinta-feira, 24 de julho de 2008

CONCURSO DE FOTOGRAFIA “PORTO DE ENCONTRO”

À Espera
Autor: Abel Barreto, de Esgueira

O Porto de Aveiro, continua com a publicação de algumas fotos que integraram o concurso de fotografia “Porto de Encontro”.

Este Concurso de Fotografia foi mais uma iniciativa do programa comemorativo do Bicentenário da abertura da Barra de Aveiro, e registou uma forte adesão da comunidade, com 61 concorrentes e perto de 500 fotografias.

Os prémios foram entregues no passado dia 3 de Abril.

Fonte: Porto de Aveiro

Sec. de Estado dos Transportes - Inaugura Centro de Controlo Marítimo


Esta quinta-feira, dia 24 de Julho, vai proceder-se à inauguração do Centro de Controlo Marítimo do Porto de Aveiro. A cerimónia, com início previsto para as 11:30, decorrerá junto ao edifício do Departamento de Pilotagem, na Barra.

A Secretária de Estado dos Transportes, Eng. Ana Paula Vitorino, preside à inauguração de uma obra orçada em cerca de 8 milhões de euros, e que tem, como principais objectivos, melhorar as condições de segurança da navegação marítima, de salvaguarda da vida humana no mar e de protecção do ambiente na aproximação exterior e nos canais interiores de navegação do porto de Aveiro, bem como melhorar a eficiência do tráfego marítimo e gerir em tempo real toda a informação relacionada com a movimentação dos navios e respectivas cargas transportadas.

Para além do novo edifício, o VTS do Porto de Aveiro é suportado por três torres radar (duas com 30 metros e uma com 15 metros de altura), localizadas estrategicamente de forma a monitorizar os canais principais e secundários de navegação.

O sistema VTS é composto essencialmente por vários subsistemas, onde se destacam os seguintes: Radar; Identificação automática dos navios, (AIS); Comunicações VHF; VHF Direction Finder ; Base de Dados; Estação meteorológica local.


Fonte: Porto de Aveiro: Newsletter n.º 152

terça-feira, 22 de julho de 2008

segunda-feira, 21 de julho de 2008

71 Anos do Museu Marítimo de Ílhavo

10h-24h Dia Aberto
10h-19h Visitas Guiadas
10h-17h Ateliers Temáticos de Serviço Educativo

21h30 Sessão Comemorativa
: Apresentação do projecto "Arquivo de Memórias da Pesca do Bacalhau"
: Inauguração da exposição "Nos Porões da Memória", com fotografias de João São Maros, Artur Seabra Oliveira e João Cruz

22h30 Espectáculo de acordeão e bateria no jardim interior do museu com João Gentil & Luís Formiga



Fonte: Museu Marítimo de Ílhavo.

Livro: “Memórias de um Pescador” no Museu Marítimo de Ílhavo


Apresentação do livro “Memórias de um Pescador”, de João Laruncho de São Marcos, dia 9 de Agosto, Sábado pelas 18 horas no Museu Marítimo de Ílhavo.
A apresentação da obra estará a cargo do Doutor Álvaro Garrido

quinta-feira, 17 de julho de 2008

BANDA DESENHADA: Mar de Gargalhadas...


***
***
Fonte: Revista da Armada.

FEIRA DE SAL DE AVEIRO


A terceira edição da Feira de Sal de Aveiro vai ocorrer nos dias 18, 19 e 20 de Julho, das 10.00 às 19.00 horas, no Largo do Mercado Manuel Firmino.

A inauguração da Feira de Sal de Aveiro acontecerá pelas 10.00 horas, no Largo do Mercado Manuel Firmino.

Pela terceira vez, a Câmara Municipal de Aveiro organiza a Feira de Sal que contará com as participações de diversas localidades que virão apresentar o sal e seus derivados pelos antigos e actuais produtores de sal:
  • Aveiro far-se-á representar pelo Ecomuseu Marinha da Troncalhada, “Sal Flor da Ria” e “Vitasal”;
  • a cidade da Figueira da Foz através da “Casa de Sal Eiras Largas”;
  • o armazenista “Sal Flor da Ria” estará em representação de Alcácer do Sal;
  • Ovar estará presente enquanto antigo “Centro Produtor de Sal” (Rancho Folclórico da Ribeira de Ovar);
  • Rio Maior através da “Cooperativa de Produtores de Sal”;
  • o produtor biológico “Planta do Xisto” com sal de Castro Marim;
  • um produtor de Sal de Setúbal;
  • e um representante de Itália.

Para além das representações referidas haverá em exposição uma pequena marinha de sal construída com os materiais adequados e utilizados no salgado aveirense, bem como um monte de sal marinho que poderá ser observado. A Feira será animada com a formação “Os Pés de Sal” que decorrerá no Ecomuseu Marinha da Troncalhada que permitirá aos visitantes o contacto directo com a actividade salicola.

No dia 19 de Julho, serão organizadas três palestras subordinadas ao tema da Ria de Aveiro, das 9.00 às 12.00 horas, no Museu da Cidade.


  • “A Sustentabilidade da Ria de Aveiro” é a primeira intervenção que estará a cargo de Fátima Alves do Departamento de Ambiente da Universidade de Aveiro.
  • Por volta das 10.00 horas, Manuel António Coimbra do Departamento de Química da Universidade de Aveiro irá falar sobre “A Alga Vermelha da Ria de Aveiro e as suas potencialidades com o Fonte de Agar”.
  • Por último, Lília Santos do Departamento de Botânica da Universidade de Coimbra irá abordar “Microalgas: Matéria-Prima do Futuro. Métodos de Cultivo”.


Fonte: Câmara Municipal de Aveiro.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Concurso de Fotografia “PORTO DE ENCONTRO”

Autor: Guilherme Lima, de Vagos.

O Concurso de Fotografia "Porto de Encontro", foi mais uma iniciativa do programa comemorativo do Bicentenário da abertura da Barra de Aveiro, e registou uma forte adesão da comunidade, com 61 concorrentes e perto de 500 fotografias.

Os prémios foram entregues no passado dia 3 de Abril.

Fonte: Porto de Aveiro

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Funchal 500 anos: Regata dos Grandes Veleiros - Participantes VII


POGORIA


Classe A
Bandeira Polaca
l.o.a. 41.1m
Armação Goleta
Ano de construção 1980
Porto de origem Gdynia
Inscrito por Sail Training Association Poland

DADOS BIOGRÁFICOS

O veleiro completo Pogoria foi construído em 1980 pela Iron Shackle Fraternity - um projecto educacional marítimo, que foi concebido e fundado pelo Capitão Adam Jasser, em 1971. O projecto foi patrocionado posteriormente pela Televisão Nacional Polaca e pela TV Magazine 'Flying Dutchman'.
O actual dono e empresário do Pogoria é a Sail Training Association Poland. O seu comprimento total é de 154 pés, com acomodação para até 50 membros da tripulação e estudantes.


***


PELICAN
Classe A
Bandeira Reino Unido (UK)
l.o.a. 34.6m
Armação Goleta
Ano de construção 1948
Porto de origem Weymouth
Inscrito por Adventure under Sail



DADOS BIOGRÁFICOS

Pelican de Londres é único entre os Square Riggers (navios de velas redondas). A forma do seu casco tem origem nos clippers de elite franceses do fim do século XIX, com um comprimento de boca à razão de 5:1, uma proa alargada, boa entrada e desembarque. Foi acrescentada uma longa popa, que proporciona um espaço e conforto excepcionais para operações por todo o mundo.
A sua armação exclusiva gera o dobro da sua potência de motor e é no entanto manejável e facilmente adaptável a condições extremas. É ainda de tamanho familiar com 45m (150ft) LE.
Desta reconstrução total apenas o magnífico casco, do Pelican de 1946, se mantém. Novas anteparas, novos convés, tanques inoxidáveis e canalizações, tudo foi construído para ir de encontro aos exigentes padrões do último “Code of Practice for the Safety of Large Commercial Sailing Vessels”.

Pelican foi concebido, principalmente, como um navio de treino de mar, mas é capaz de desempenhar diferentes papéis por todo o mundo.

Mais informações: www.adventureundersail.com

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Oceanário no Porto em 2010...



Investimento de dez milhões de euros vai criar 100 postos de trabalho. Fevereiro de 2010 é a data prevista para a abertura.

Sea Life Center é o nome do investimento que será feito pelo grupo Merlin Entertainments, na cidade do Porto, uma construção feita de raiz atrás do café "Bela Cruz", na Foz. São mil e 300 metros quadrados de área coberta onde se irão poder ver peixes, tubarões e outras espécies marinhas.

O investimento de dez milhões de euros conta com uma candidatura ao Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), uma vez que, segundo o presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, este é um projecto do interesse do país. "Com este projecto acende-se uma luz que o país já não vê há muito. Vem trazer ânimo ao Porto e a todo o país", afirmou.

O vereador do Urbanismo, Lino Ferreira, acrescentou que este investimento irá criar 100 postos de trabalho directos. Só entre 1927 e 1965 o Porto teve um aquário, o Augusto Nobre, situado na Praia do Homem do Leme.

A Câmara do Porto irá levar a reunião do executivo, terça-feira, uma proposta para ceder os terrenos, em direito de superfície, por 30 anos, recebendo uma renda de 20 mil euros por ano, a partir de 1 de Janeiro de 2014. "[Nessa data] Tenho a certeza que não estarei cá", disse Rui Rio, explicando que a única herança que quer deixar são receitas e não despesas.

Os promotores da construção deste espaço terão ainda que construir uma área de lagos e jardins com cerca de 4.500 metros quadrados para que se faça um alargamento do Parque da Cidade. "A câmara impôs ao promotor esta construção para que seja feita uma transição paisagística harmoniosa entre o edifício e a zona do Parque que já existe", referiu Rio.

Turismo e educação


O projecto tem como objectivo ganhar competitividade no sector do turismo. "Ao nível do turismo já podemos apostar mais porque a cidade tem equipamentos para tal", disse Rui Rio.

Para além do desenvolvimento económico e turístico, o Sea Life Center pretende ter também um papel importante na educação. "O promotor terá que disponibilizar à câmara todos os anos 2500 bilhetes para que todos os alunos das escolas do ensino básico, filhos de ricos ou pobres, possam visitar o Sea Life Center", explicou o autarca.

"Não ando à procura de obras emblemáticas nem de estádios em meu nome. Ando à procura do desenvolvimento harmonioso", frisou.

Fonte: http://jpn.icicom.up.pt

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Esta Vida de Marinheiro....


A Casa do Militar da Armada, situada no Edifício da Administração Central da Marinha, com porta para a Rua do Arsenal, presta apoio nas dormidas aos Sargentos e Praças assim como assegura o funcionamento de um Serviço de Bar.

Na remodelação de 1970 a Sala de Estar foi decorada com um lambrim de madeira a toda a volta e sobre ele foi colocado um friso contendo dezanove quadros pintados com desenhos humorísticos, relativos à vida de marinheiro, devidamente protegidos por chapas de vidro.

Desconhece-se o autor das pinturas, mas uma análise rápida mostra ser um bom conhecedor das várias facetas da vida de um marujo.

Esta curiosa decoração, já com trinta e quatro anos, é bem merecedora de uma visita.

Fonte: Marinha

terça-feira, 8 de julho de 2008

Baptismos de mergulho gratuitos na Praia da Barra


PARTICIPE !!!

Não perca esta oportunidade única. Mergulhe em segurança, na companhia de um instrutor credenciado. Uma parceria do Porto de Aveiro com a aveirosub.

Inscrições: 234 367 666, 932 367 667, aveirosub@aveirosub.com, geral@portodeaveiro.pt


Fonte: Porto de Aveiro: Newsletter n.º149.

VIA DE CINTURA PORTUÁRIA: A luz verde para a conclusão das obras


Pode avançar a conclusão da Via de Cintura Portuária, no porto de Aveiro.

O Governo autorizou a APA a tomar a posse administrativa dos terrenos necessários à realização da obra. A conclusão da Via de Cintura Portuária – 3.ª fase é um dos projectos prioritários do Plano Estratégico de Desenvolvimento do Porto de Aveiro, no domínio das acessibilidades terrestres. A conclusão da obra permitirá o acesso dos camiões ao perímetro portuário e segregará o trânsito dos pesados da circulação urbana. Para que a Via de Cintura Portuária fique completa faltam apenas dois quilómetros, que só agora será possível realizar.

A obra é tanto mais importante quanto permitirá também restabelecer os atravessamentos rodoviários necessários à inserção urbanística do ramal ferroviário que ligará o porto de Aveiro à rede ferroviária nacional, e que corre paralelo à via rodoviária. Ambas as obras deverão estar concluídas no decurso do próximo ano.


FONTE:Porto de Aveiro: Newsletter n.º149

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Revista da Armada: 200 Anos da Abertura da Barra de Aveiro



Este mês, a Revista da Armada dá especial destaque aos 200 anos da abertura da Barra de Aveiro, um acontecimento histórico e memorável para as gentes da terra...

Porto de Aveiro - 1610.
Atlas de Pedro Teixeira de Albernaz.
"..."

"As primeiras referências documentais à região de Aveiro datam do século XI (entre 1037 e 1065), sendo pois anteriores à criação do Estado Português ou mesmo do Condado Portucalense.
Nessa época a linha de costa nesta região era substancialmente diferente da actual. Ovar tinha deixado de ser uma povoação do litoral estando já protegida do mar por um cordão dunar que foi avançando sucessivamente para Sul.
No entanto, Aveiro, Ílhavo, Vagos e Mira mantinham-se como povoações à beira do Oceano e há referências a importantes actividades marítimas."
"..."
Estávamos no tempo das Invasões Francesas; em Novembro de 1807 o Exército Franco-Espanhol comandado por Junot invade e ocupa Portugal enquanto a Corte e o governo retiram para o Brasil.

A 3 de Abril de 1808, com o auxílio das fortes chuvadas que se fizeram sentir, e com o desnível de mais de 2 metros entre as águas lagunares e o oceano, retirou-se o último obstáculo – uma pequena barragem de estacaria – e as águas rasgam o que resta do cordão dunar que, ao fim de 3 dias está estabilizado com 4 a 6 metros de profundidade e 264 de largura.

A decisão de trazer a Barra para Norte, onde estivera nos Séculos XV e XVI, próximo da cidade e das marinhas de sal, mostrou-se a solução providencial que resistiu ao longo de dois séculos e devolveu à Ria de Aveiro, e às suas gentes, as suas capacidades económicas e bem estar social.


Fonte: Revista da Armada

Funchal 500 anos: Regata dos Grandes Veleiros - Participantes VI

MIR

Classe A
Bandeira Russa
l.o.a. 94.8m
Armação Completa
Ano de construção 1987
Porto de origem St. Petersburg, Rússia
Inscrito por Admiral Makarov State Maritime Academy, St. Petersburg, Rússia
DADOS BIOGRÁFICOS

Mir, que significa Paz, foi o terceiro de cinco navios irmãos construídos no estaleiro Lenine em Gdansk, na Polónia, baseado num novo tipo de estilo de navio de treino com velas redondas. O primeiro navio deste estilo foi o Dar Mlodziezy, que foi construído para sbstituir o velho navio-escola Dar Pomoza, para a marinha mercante polaca. A Rússia decidiu então que queria um desenho/estilo semelhante para cinco navios, como parte de um negócio de comércio com a Polónia. O primeiro foi Druzhba e depois, em 1987, Mir para o qual o plano de massame foi ligeiramente alterado, com o intuito de poder navegar mais a favor do vento - até 30 graus ao invés dos 60 graus habituais para os de velas redondas.
O número total de velas do Mir é 26. Leva uma tripulação de 200 pessoas, mas pode ser navegado apenas com 30.

Fonte: Câmara Municipal de Ílhavo.

Banda Desenhada: MAR de gargalhadas...


* * *
* * *

Fonte: Marinha

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Funchal 500 anos: Regata dos Grandes Veleiros - Participantes V


Kaliakra
Classe A
Bandeira Búlgara
l.o.a. 42.80m
Armação Goleta
Ano de construção 1984
Porto de origem Varna, Bulgária
Inscrito por Companhia de Navegação Marítima Búlgara


DADOS BIOGRÁFICOS

Kaliakra foi construído no Estaleiro de Gdansk, na Polónia, em 1984 e pertence à Companhia de
Navegação Marítima Búlgara.
O barco foi especialmente projectado para o treino e qualificação de alunos da Academia Marítima em Varna - os futuros oficiais de frota mercante Búlgara.
O navio participou, por diversas vezes, em algumas das Regatas de Grandes Veleiros, organizadas pela International Sailing Training Association (ISTA) e Sail Training International. Os seus numerosos bons esultados e popularidade internacional aumentaram o prestígio da bandeira nacional búlgara.
Durante a Regata Colombo 1992 para celebrar o aniversário dos 500 anos da descoberta da América, Kaliakra navegou duas vezes através do Oceano Atlântico e terminou em 3º lugar de entre 143 barcos.
Um grande número de visitantes, membros de famílias reais, chefes de estado, oficiais de governo e celebridades já foram convidados a bordo do Kaliakra.

Fonte: Câmara Municipal de Ílhavo.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Funchal 500 anos: Regata dos Grandes Veleiros - Participantes IV

Cuauhtémoc

Classe A
Bandeira Mexicana
l.o.a. 90.5m
Armação Barca
Ano de construção 1982
Porto de origem Acapulco, México
Inscrito por Marinha Mexicana


DADOS BIOGRÁFICOS

Cuauhtémoc foi construído em Bilbau, Espanha, em 1981 e a princípio chamava-se Celaya. Posteriormente, foi adquirido pela Marinha Mexicana como navio de treino para oficiais, cadetes, contramestres e marinheiros. Cuauhtémoc navegou pelo mundo durante treze anos e em 1995 foi submetido a uma grande reforma do barco e do massame.
Cuauhtémoc já ganhou por duas vezes a Regata de Grandes Veleiros.

A Marinha Mexicana é uma organização militar nacional de carácter permanente, cujos objectivos principais são usar a sua força naval para a defesa e cooperar em questões de segurança nacional.

Algumas das suas funções são:

Organizar, treinar, recrutar, equipar e dirigir forças sob o comando da Marinha para a realização de toda a sua missão e o exercício total das suas funções.
» Cooperar com o Governo Mexicano, salvaguardando o enquadramento legal.
» Levar a cabo diferentes actividades, de modo a salvaguardar e proteger a supremacia do Estado. De modo similar, a Marinha Mexicana defenderá as suas águas territoriais, tanto áreas marítimas como áreas terrestres, ilhas, recifes de corais, baixios, baseboards e plataformas continentais. Além disso, a protecção inclui zonas de lagos e rios, onde possível, e o espaço aéreo nacional. A Marinha também deverá proteger os direitos da sua supremacia dentro da Zona Económica Exclusiva.
» Proteger o tráfego marítimo, dos lagos e dos rios dentro da sua jurisdição territorial conforma as indicações dadas pelo Comando Supremo. A este respeito, a Marinha deverá estabelecer as áreas de controlo necessário que dependem do Comando Supremo juntamente com as agências de cumprimento da lei através de acordos que incluirão o espaço aéreo como estabelecido por lei.

Fonte: Câmara Municipal de Ílhavo.

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Funchal 500 anos: Regata dos Grandes Veleiros - Participantes III

Capitan Miranda

Classe A
Bandeira Uruguaia
l.o.a. 50.29m
Armação Escuna
Ano de construção 1930
Porto de origem Montevideo
Inscrito por Marinha Uruguaia

DADOS BIOGRÁFICOS

Capitan Miranda foi lançado em Espanha, em 1930 e começou a sua carreira como barco de carga (cargueiro). Foi-lhe dado o nome de Capitan Miranda devido ao engenheiro hidrográfico uruguaio Capitão Francisco Miranda (1868-1925), que serviu o Uruguai como oficial do ministério, secretário de guerra e, posteriormente, como professor de geografia marinha na Academia Naval do Uruguai.

Capitan Miranda foi usado como um navio hidrográfico de pesquisa até 1978. Após este período, foi submetido a uma grande remodelação como navio-escola e, actualmente, com a sua armação escuna e proa rápida, assemelha-se mais a um iate privado do que com um navio-escola.

Fonte: Câmara Municipal de Ílhavo.

terça-feira, 1 de julho de 2008

Funchal 500 anos: Regata dos Grandes Veleiros - Participantes II

Astrid


Classe A

Bandeira Holandesa
l.o.a. 33.6m
Armação Brigue
Ano de construção 1918
Inscrito por Horizon Sailing, Pieter de Kam

DADOS BIOGRÁFICOS

Este belo veleiro com velas redondas oferece uma boa navegação com um interior moderno e luxuoso.

O Astrid, com um comprimento de 41.65m, é o veleiro mais pequeno existente. No entanto,isto não afecta de modo algum os olhares elogiosos de que é alvo com a sua enorme quantidade de velas, cordas e vergas.


Astrid foi construído em 1918 como barco de pesca de arrasto de arenque. Até cerca de 1970, serviu como navio-motor no Mar Báltico. Durante os anos 70, o barco foi usado, pelos novos Libaneses, para negócios ilícitos, durante a guerra no Próximo Oriente. Havia suspeitas de tráfico de droga. Um fogo na Costa Inglesa acabou com tudo isto. Até 1984, a carcaça, ainda elegante, enferrujou por falta de uso. Depois, a reconstrução transformou-o num brigue tradicional, capacitando-o para fazer a travessia do Oceano Atlântico como navio-escola. O 'Astrid' foi reconstruído extensivamente entre 1999 e 2000.


Astrid tem capacidade para 50 passageiros, em viagens com duração de um dia, e tem camarotes para 24 pessoas, em viagens mais longas. As instalações sanitárias são espaçosas, com cinco casas de banho e cinco duches. Tem uma sala acolhedora, decorada com motivos marítimos e com uma área de bar.

Durante as viagens mais longas existe a possibilidade de aprender a navegar um barco com velas redondas. Orientar as velas e escalar o massame, você faz parte da tripulação!
Nas viagens de um dia você também irá experimentar navegar um barco de navegação tradicinal. Há muitas oportunidades para seminários e hospitalidade colectiva ou passeios diários.

Fonte: Câmara Municipal de Ílhavo.