200 anos da Barra de Aveiro

Loading...

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Funchal 500 anos: Regata dos Grandes Veleiros - Participantes IV

Cuauhtémoc

Classe A
Bandeira Mexicana
l.o.a. 90.5m
Armação Barca
Ano de construção 1982
Porto de origem Acapulco, México
Inscrito por Marinha Mexicana


DADOS BIOGRÁFICOS

Cuauhtémoc foi construído em Bilbau, Espanha, em 1981 e a princípio chamava-se Celaya. Posteriormente, foi adquirido pela Marinha Mexicana como navio de treino para oficiais, cadetes, contramestres e marinheiros. Cuauhtémoc navegou pelo mundo durante treze anos e em 1995 foi submetido a uma grande reforma do barco e do massame.
Cuauhtémoc já ganhou por duas vezes a Regata de Grandes Veleiros.

A Marinha Mexicana é uma organização militar nacional de carácter permanente, cujos objectivos principais são usar a sua força naval para a defesa e cooperar em questões de segurança nacional.

Algumas das suas funções são:

Organizar, treinar, recrutar, equipar e dirigir forças sob o comando da Marinha para a realização de toda a sua missão e o exercício total das suas funções.
» Cooperar com o Governo Mexicano, salvaguardando o enquadramento legal.
» Levar a cabo diferentes actividades, de modo a salvaguardar e proteger a supremacia do Estado. De modo similar, a Marinha Mexicana defenderá as suas águas territoriais, tanto áreas marítimas como áreas terrestres, ilhas, recifes de corais, baixios, baseboards e plataformas continentais. Além disso, a protecção inclui zonas de lagos e rios, onde possível, e o espaço aéreo nacional. A Marinha também deverá proteger os direitos da sua supremacia dentro da Zona Económica Exclusiva.
» Proteger o tráfego marítimo, dos lagos e dos rios dentro da sua jurisdição territorial conforma as indicações dadas pelo Comando Supremo. A este respeito, a Marinha deverá estabelecer as áreas de controlo necessário que dependem do Comando Supremo juntamente com as agências de cumprimento da lei através de acordos que incluirão o espaço aéreo como estabelecido por lei.

Fonte: Câmara Municipal de Ílhavo.

Sem comentários: