200 anos da Barra de Aveiro

Loading...

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Polícia Marítima: Desacatos entre apanhadores de bivalves / Apreensão de redes proibidas

Pescador que desrespeitava suspensão da actividade motivou troca de insultos e agressões.

Um grupo de apanhadores de bivalves na zona da praia da Torreira, Murtosa, desentenderam-se segunda-feira de manhã e acabaram por chegar a vias de facto em plena ria de Aveiro.

Segundo fonte da Capitania do Porto de Aveiro, que mobilizou agentes da Polícia Marítima para o local para serenar os ânimos, o desacato causou “escoriações” em alguns indivíduos.
Tudo indica que a zanga começou quando um homem resolveu pedir explicações a outro que andava ilegalmente na apanha de bivalves que se encontra suspensa desde Novembro passado,devido à presença de biotoxinas marinhas, o que pode colocar em causa a saúde pública dos consumidores.

“Há sempre quem tente e aquilo deu em desavença”, contou fonte da autoridade marítima. Ainda segunda-feira, mas a sul, a Polícia Marítima apreendeu, no Rio Boco, em Vagos, duas artes ilegais usadas para apanha do meixão, a enguia em estado larvar.

A acção de fiscalização não conseguiu identificar os eventuais proprietários. As espécies, que totalizavam alguns quilos, foram libertadas. De acordo com fonte da Capitania, as enguias-bebé, cuja apanha e comercialização é proibida, são muito procuradas, inclusivamente em Espanha onde o preço por quilo chega a rondar entre 300 e 500 euros. No ano passado, foram detectadas na Ria de Aveiro cerca de uma dezena de redes de meixão, apesar de não ser das zonas de maior apetência para a produção de enguia.

Fonte: Noticias de Aveiro.

1 comentário:

manuel paulo disse...

Ola.
Venho por este meio informar que pesca apeada esta impossível de se realizar na ria...
Pago a licença para me divertir mas com as redes perto das estradas é cada vez é mais impossível pescar.
A policia marítima não faz nada em relação a esse assunto.
Pergunto para que pagamos se não temos aonde pescar?